12 agosto, 2014

O lobo bobo e o cordeiro perguntador

Está o lobo à margem uma do riacho a mastigar sobras do repasto.
Pelas costas lhe pergunta um cordeiro:
- Por que mataste e comes o meu irmão?
Voltando-se, surpreendido com o tom manso da incisiva questão, vinda de quem vinha e de lugar considerado impróprio - a margem sua, que a dos cordeiros era a outra -, o lobo recorre à evasiva:
- Que irmão?
Das fauces arreganhadas inda escorre sangue fresco, mesmo uma parte do animal abatido ainda está exposta fora da bocarra lambuzada.
- Esse aí, de quem ainda trituras os ossos, acrescenta o cordeiro, deixando o lobo atônito, surpreendido tal Caim.

(A história não tem fim, as margens certas podem trocar de sinais. Cordeiros não falam... sequer peguntam. Já, lobos, vez por outra fazem papel bobo).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário no post. Seu retorno ajuda a melhorar a qualidade do meu trabalho.
Se você não é inscrito no blogger, clique em anônimo e deixe um nome ou endereço para contato.

Twitter Updates

    follow me on Twitter