20 abril, 2008

Deste lado do umbral, ainda...




Estas cores fortes as vi à frente,
um infindo horizonte ao norte
mas voava, não sentia os pés
nem tapetes haviam
que eram nuvens de escuro azul,
de azuis-claros de azuis pastéis, de cruéis azuis
pedi um beijo à amada, já bêbado em anestésico
para atravessar em paz o umbral sem dores
negou-me, astuta solerte, até risonha
repeti que seria assim feliz demais
ela sorriu inda mais, disse-me para ficar
feliz junto a ela e tudo eram rosas já
E mais e mais amores, quiçá


Adroaldo Bauer Corrêa
No décimo-segundo dia após.

2 comentários:

  1. Cintia Thomé21/04/2008 12:24

    Caro Amigo Adroaldo
    Flores aqui estão deste lado agora tã teu, um jardim que deveras vai brilhar em cores, digo sempre são gérberas felizes...feliz estou

    ResponderExcluir
  2. Olá, a Rose está aqui em casa e me falou do quase umbral. Seja feliz deste lado, amigo. Abraço, Meriam

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário no post. Seu retorno ajuda a melhorar a qualidade do meu trabalho.
Se você não é inscrito no blogger, clique em anônimo e deixe um nome ou endereço para contato.

Twitter Updates

    follow me on Twitter