02 dezembro, 2009

pesadelo

Tudo o meu e teu enfim rasgado
Rompida a carcaça moribunda
Sangra ainda o coração engelhado
Da fétida náusea assumida tomado
Escarnecido tanto, infenso tornado
Indefeso caído em tolas percepções
Visitara-me baco no lugar de cupido
Ministrando as doses várias e tintas
O rumo da queda bruta, a ida, tomado
Não era só poço nem saída almejada
Fundo, na lama, o todo em desalinho
Um sonho desses, amada, nem acordado


[Leia grátis a novela O dia do Descanso de Deus:
http://overmundo.com.br/banco/uma-novela-para-ler-de-graca]

Um comentário:

  1. Olá,

    Estamos montando um cadastro de blogs relevantes segmentados por assunto.
    Caso tenha interesse em incluir o seu blog gratuitamente neste cadastro basta nos enviar uma mensagem para blogs@difundir.com.br informando o endereço do seu blog, e-mail de contato e assuntos que são abordados no seu blog.

    Abraço,
    Sergio
    blogs@difundir.com.br
    www.difundir.com.br

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário no post. Seu retorno ajuda a melhorar a qualidade do meu trabalho.
Se você não é inscrito no blogger, clique em anônimo e deixe um nome ou endereço para contato.

Twitter Updates

    follow me on Twitter